sábado, 26 de novembro de 2011



quimera

dormiu várias noites
num único dia despertou
como se a vida tivesse retrocedido
os pés dormentes pisaram
o passado nunca acontecido
olhou-se no espelho
e sofreu a certeza
que o tempo passou
e ficou somente
nas lembranças
inexistente que a perseguia
os sorrisos na face pálida
da lugar as gotas de dor
que nasciam das retinas
sem brilho que ela tinha
olhou ao seu redor
e sem esperança
voltou a adormecer
um sono de quimera.

Márcia Lyrio  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog

Páginas